O Brasil e a Proteção da Camada de Ozônio: uma parceria bem-sucedida entre governo, setor produtivo e sociedade.

Mecanismos de destruição do ozônio

Em 1974, Molina e Rowland propuseram que o ozônio estratosférico estava sendo destruído em escala maior do que ocorria naturalmente e que a diminuição da concentração do ozônio era devido à presença de substâncias químicas contendo átomos de cloro (Cl), flúor (F) ou bromo (Br), emitidas pela atividade humana, tais como os CFCs, HCFCs e brometo de metila.

Os gases contendo esses átomos permanecem na atmosfera por vários anos e, ao subirem até a estratosfera, sofrem a ação da radiação ultravioleta, liberando radicais livres que destroem de forma catalítica as moléculas de ozônio.

ciclo de destruicao do ozonio

Ciclo de destruição do ozônio

A diminuição da concentração de ozônio persiste devido à contínua emissão de substâncias halogenadas e sua longa vida na atmosfera, a exemplo dos clorofluorcarbonos (CFCs), que podem permanecer ativos de 80 a 100 anos.

 

Doador

logo 01

Agências Implementadoras

logo 02 logo 03

Agência Implementadora Líder

logo 04

Fiscalização e Controle

logo 05

Coordenação

MMA Eleitoral FINAL

Protocolo de Montreal

Links

Acessibilidade

Alto Contraste
A-
A
A+

2017 © Todos os direitos reservados.