O Brasil e a Proteção da Camada de Ozônio: uma parceria bem-sucedida entre governo, setor produtivo e sociedade.

Brasil divulga possibilidade de apoio técnico e financeiro à substituição do HCFC-141b para o setor de espumas de poliuretano em Feira Internacional

A importação da substância será proibida a partir de 1º de janeiro de 2020

 

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) exibiram vídeos informativos para especialistas, empresários do setor de espumas de poliuretano e visitantes na 10ª edição da FEIPLAR Composites & FEIPUR, entre 6 e 8 de novembro em São Paulo.

Os vídeos foram apresentados durante os painéis de Isolamento Térmico e de Espumas Flexíveis, no Congresso Internacional de Poliuretano e em espaços comuns da FEIPUR, com o objetivo de reforçar a divulgação do prazo de importação do HCFC-141b para a manufatura de espumas de poliuretano, a partir de 1º de janeiro de 2020, conforme consta na Instrução Normativa nº 04/2018 do IBAMA.

 

 

Os vídeos também abordaram informações sobre o apoio técnico e financeiro disponibilizado pelo Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH) no processo de substituição do HCFC-141b por outras substâncias ambientalmente adequadas.

“É importante que as empresas se adequem o mais rápido possível para estarem prontas para essa nova realidade e, aderindo ao Programa, elas contam com o apoio financeiro e a assistência técnica para realizarem as adequações necessárias em seu parque fabril. Assim, estarão aptas a deixar de utilizar o HCFC-141b em seu processo produtivo, passando a utilizar substâncias que não agridam a Camada de Ozônio e que não contribuam para o Aquecimento Global”, pontuou a gerente de projetos do PNUD, Ana Paula Leal.

 

 

Além disso, para um público de cerca de 15 mil pessoas, o MMA e o PNUD disponibilizaram folders informativos em revistário na entrada da Feira. O objetivo foi reforçar as informações apresentadas pelos vídeos e possibilitar que os participantes do evento conhecessem os critérios de elegibilidade do PBH.

“A divulgação do material referente ao Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs na FEIPUR é relevante para conscientização do público-alvo e conhecimento dos projetos realizados, havendo, em consequência, o incentivo a uma maior adesão das empresas às iniciativas então propostas para o setor de espumas de PU”, ressaltou a analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Tatiana Pereira.

Para representantes do setor, a proibição dos HCFCs incentivou o mercado a desenvolver novas tecnologias, buscar sistemas alternativos mais eficientes e com base em substâncias ambientalmente adequadas.

Durante as palestras, a substituição dos HCFCs foi mencionada como um esforço global para a recuperação da camada de ozônio. Além disso, os palestrantes lembraram a Emenda de Kigali, que desde 2016 inclui os HFCs na cesta de substâncias controladas pelo Protocolo de Montreal. No Brasil, a Emenda de Kigali está atualmente em fase de discussão no Congresso Nacional. Após ratificada, o país terá até 2045 para reduzir o consumo da substância em 80% em relação à linha de base, que corresponderá à média do consumo de HFCs nos anos 2020-2022 somada a 65% da linha de base dos HCFCs.

Confira abaixo as fotos do evento.

FEIPLAR Composites & FEIPUR 2018

 

Doador

logo 01

Agências Implementadoras

logo 02 logo 03

Agência Implementadora Líder

logo 04

Fiscalização e Controle

logo 05

Coordenação

mma governo federal 2019

Protocolo de Montreal

Quer receber informações sobre as ações brasileiras de proteção da camada de ozônio?
Assine o boletim informativo do Protocolo de Montreal Brasil.

Links

Acessibilidade

Alto Contraste
A-
A
A+

2017 © Todos os direitos reservados.