O Brasil e a Proteção da Camada de Ozônio: uma parceria bem-sucedida entre governo, setor produtivo e sociedade.

Campanha dos 30 anos do Protocolo de Montreal atinge público de mais de 4,5 milhões de pessoas em quatro regiões do país

 

Com mais de 4,5 milhões de espectadores por dia, em cinco meses de veiculação, a campanha dos 30 anos do Protocolo de Montreal obteve sucesso na disseminação de informação e conscientização da sociedade em relação à proteção da camada de ozônio.

Desde novembro de 2017 até março de 2018, os trens, metrôs e VLTs de nove capitais brasileiras em quatro regiões do país divulgaram peças publicitárias e informativas sobre as ações brasileiras para proteção da camada de ozônio.

“O metrô é um local muito bom para fazer campanhas porque é muito democrático, temos pessoas de todas as classes sociais; é uma amostragem do que a cidade tem. Acho que a campanha foi muito positiva, as pessoas viram e se conscientizaram”, afirmou Felipe Vasconcelos, da cidade de Porto Alegre, RS.

Durante a campanha, os usuários do sistema metro-ferroviário puderam interagir com as peças publicitárias, aprender sobre as ações brasileiras para recuperação da camada de ozônio e saber como se proteger dos raios UV-B.

Além das peças informativas instaladas no sistema metro-ferroviário, a campanha teve ampla interatividade e divulgação pelas redes sociais e meios digitais. A iniciativa foi anunciada em 47 meios de comunicação locais e nacionais, com a produção de fotos e vídeos sobre a campanha. Nas redes sociais, a hashtag #30AnosProtocoloDeMontreal atingiu mais de 5 mil visualizações.

“A informação, quando é passada de boca em boca, acaba atingindo uma quantidade de pessoas que a gente nem imagina, e isso faz com que as pessoas prestem atenção nesses detalhes. Eu mesma, por exemplo, não me preocupava com a minha pele, não usava protetor solar. Natal é uma cidade quente, de sol, então, a utilização de protetor solar é necessária. Eu fui uma das conscientizadas com a campanha e comecei a usar protetor”, conta Vanessa Muniz, de Natal, RN.

Além de Porto Alegre e Natal, a campanha também foi veiculada em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Salvador (BA), Maceió (AL), Recife (PE) e João Pessoa (PB).
Para Marcelo Miranda, de Recife, a campanha de conscientização é importante não apenas para disseminar informação dos 30 anos do Protocolo de Montreal, mas para os resultados que ainda serão alcançados. “Essa campanha de conscientização é importante para que continuemos a proteger a camada de ozônio. Quanto mais a gente conseguir transmitir essa mensagem, mais temos certeza que podemos alcançar resultados positivos lá na frente”, afirmou.

Em 30 anos, os países partes do Protocolo de Montreal eliminaram totalmente o consumo e produção dos clorofluorcarbonos (CFCs), halons, brometo de metila para fins agrícolas, CTC e, atualmente, estão em fase de eliminação dos hidroclorofluorcarbonos (HCFCs).

Essas substâncias, quando emitidas para a atmosfera, reagem com o ozônio estratosférico, quebrando sua molécula. O resultado é a rarefação da camada de ozônio e o consequente aumento da incidência de raios UV-B sobre a superfície da Terra. Em excesso, essa radiação pode causar câncer de pele, catarata e diminuição da biodiversidade de plantas e animais.

Graças aos esforços do Protocolo de Montreal, estima-se que, até meados do século XXI, a camada de ozônio se recupere aos níveis registrados no início da década de 1980. Porém, é importante que a população também faça a sua parte, optando por adquirir produtos livres das substâncias destruidoras do ozônio e cobrando a destinação adequada dessas substâncias presentes, principalmente, em espumas de poliuretano, aparelhos de refrigeração e de ar-condicionado. Proteger-se dos raios UV-B nocivos à saúde humana é outra atitude que deve ser cultivada, devendo-se sempre utilizar protetor solar ao se expor a ambientes externos.

A campanha foi uma parceria entre as instituições implementadoras do Protocolo de Montreal no Brasil – Ministério do Meio Ambiente (MMA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e agência de cooperação alemã GIZ – e as companhias de trens e metrôs do país – ANPTrihos, Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), ViaQuatro, Companhia Paulista de Trens Urbanos (CPTM), Trensurb, Metrô Bahia, Companhia de Transporte do Estado da Bahia (CTB) e Metrô DF.

Confira as fotos da campanha. 

 

Doador

logo 01

Agências Implementadoras

logo 02 logo 03

Agência Implementadora Líder

logo 04

Fiscalização e Controle

logo 05

Coordenação

MMA Eleitoral FINAL

Protocolo de Montreal

Quer receber informações sobre as ações brasileiras de proteção da camada de ozônio?
Assine o boletim informativo do Protocolo de Montreal Brasil.

Links

Acessibilidade

Alto Contraste
A-
A
A+

2017 © Todos os direitos reservados.